Últimas notícias

A Lei de Parkinson e os concursos públicos

Será que dá tempo de estudar para esse concurso?


Existe uma teoria conhecida como Lei de Parkinson, elaborada por Cyril Northcote Parkinson que diz mais ou menos assim: 

"O trabalho se expande de modo a preencher o tempo disponível para a sua realização"

Essa teoria é bastante utilizada nos estudos sobre produtividade, burocracia etc. 

Desconsiderados os casos extremos, podemos refletir sobre os princípios dessa lei visando o nosso universo concurseirístico. 

Vamos de analogia... 

Imagine um pintor que foi contratado para fazer o acabamento em determinado quarto no prazo de sete dias.  


Segundo a Lei de Parkinson, é provável que o pintor tenha:
 

* acordado um pouco tarde e saído para comprar o material no primeiro dia;

* aplicado a massa corrida no segundo dia; 

* lixado as paredes no terceiro dia;

* dado a primeira demão de tinta no quarto dia;

* esperado a tinta secar no quinto e assim por diante... utilizando os sete dias disponíveis. 

Mas e se o prazo fosse de 48 horas?


Nesse caso, a probabilidade maior é que o pintor teria:

* acordado mais cedo para comprar as coisas;

* começado a trabalhar logo no primeiro dia;

* pintado mais rápido e usado ventiladores para secar a massa e a tinta...

Assim, ele entregaria o serviço pronto no fim do segundo dia.

Entendeu como funciona? Então vamos falar sobre como a Lei de Parkinson se aplica aos estudos para concursos públicos.

Veja bem... Em 2015, fui aprovado em 1° lugar no concurso da UFRRJ estudando míseros vinte e três dias líquidos com mais dois dias de descanso.

Você provavelmente conhece outras histórias como essa.. Eu sei de algumas. Teve o Fernando Mesquita, que passou pra PRF estudando 58 dias; o Diogo Moreira, que estudou 9 meses e passou pra Auditor Fiscal da Receita Federal...

Esses "feitos" normalmente são chamados de "pontos fora da curva", e de fato podemos dizer que são (pois estão distantes do que costuma ser a regra).

Não devemos, porém, confundir essas "aprovações foguete" com genialidade. Elas foram conquistadas por pessoas normais.

O Fernando Mesquita é péssimo em exatas, segundo ele (no insta já disse que trava até pra fazer conta de cabeça em algumas situações)... O Diogo Moreira passou pra Receita sem aprender Contabilidade, mas indo bem nas demais...


Onde eu quero chegar com isso?

Acontece que eu desisti de prestar o concurso da UFRRJ pelo menos quatro vezes antes de finalmente decidir prestá-lo. O motivo? Eu acreditava que não tinha tempo. 

Eu quase deixei de prestar esse concurso baseado na crença de que as pessoas demoram mais para passar num concurso desse porte. E eu tenho CERTEZA que esse tipo de desistência é o mais comum no universo concurseirístico.


Desconsiderados os extremos, como eu disse acima, o tempo mínimo pra passar em um concurso pode ser muito menor do que você imagina.

É óbvio, não dá pra aprovar num concurso pra Auditor Fiscal da Receita Federal estudando vinte e três dias.

Mas quanto tempo você ACREDITA que leva pra alguém aprovar pra esse cargo que paga R$ 30.000 pro resto da vida? Três anos? Dois anos? Um ano?

Até que um desavisado elabora um planejamento brutal e passa em NOVE meses.. E se no próximo alguém passar em 8 meses? Se é que não rolou ainda, né..

Entende onde eu quero chegar?

Se você repetir para si mesmo que levará o ano inteiro de 2020 para conquistar a aprovação, segundo a Lei de Parkinson, estará se convidando a procastinar. Queira passar em 6 meses, em 3... em menos tempo!

Não permita que o seu estudo para concursos se expanda por mais tempo do que o necessário para a aprovação. Você é capaz de passar em menos tempo do que acredita!

É possível passar pra técnico-administrativo de uma Universidade Federal em 6/3/2 meses? SIM.

É possível passar para um cargo administrativo municipal em 3/2/1 meses? SIM.


Vislumbrou uma oportunidade, mas parece loucura? Cai dentro! ABUSE do curto prazo.

Comece a estudar pra ontem! Aproveite a injeção de motivação dos Editais abertos e construa a sua bagagem ACREDITANDO na aprovação. Você corre sério risco de aprovar.

Se você reprovar, olhe a bagagem que já terá adquirido... Pense no tempo que já terá estudado. Além do mais, é bem mais fácil se manter estudando do que começar a estudar, concorda comigo?

O primeiro passo é metade do caminho.

Eu nunca me senti preparado no ato da inscrição. Nunca achei que daria tempo de estudar o edital todo (em muitas vezes não deu). Passei duas vezes em primeiro lugar sem achar que ficaria sequer dentro das vagas...

Finalizando, não estou dizendo pra você ter pressa de passar.

Quero que tenha 1) CUIDADO COM AS CRENÇAS e 2) PRESSA DE ESTUDAR.

Dê o seu melhor no tempo que tiver (mesmo quando aparentemente inviável), aumente logo o seu percentual de acertos e extraia com sabedoria o aprendizado das reprovações passadas.

Para complementar o artigo, assista ao vídeo abaixo :)

Até a próxima,

Fui! 


Um comentário: