Últimas notícias

Como estudar e trabalhar sem surtar?

Como conciliar trabalho e estudo para concursos públicos?

Você trabalha e estuda? Como faz para conciliar essas atividades?Esse artigo é voltado para a realidade dos concursos públicos, especificamente pra tirar do sufoco quem não tem muito tempo livre. 

Não estou aqui para lhe dizer somente que deve dormir oito horas por noite, se alimentar bem, fazer exercícios e ter um bom planejamento. 

Li dicas assim noutros artigos semelhantes na internet, mas elas são para quem vive uma situação ideal. Infelizmente, essa não é a realidade da maioria dos concurseiros (assim como não foi a minha). Dormir o suficiente e fazer exercícios é pra quem tem tempo. Se alimentar bem é pra quem tem dinheiro

E o bom planejamento? Então, isso todos podemos fazer, então devemos fazê-lo melhor que todos os outros

Para não surtar, é muito importante saber que toda essa loucura será temporária... Porém, isso é apenas parte do que você deve entender para alcançar o sucesso... vem comigo!

Me siga no insta @guydiown!


trabalhar e estudar para concursos
Trabalhador surtando na biblioteca - montagem minha.
Fotos de ElasticComputeFarm e RyanMcGuire (Pixabay.com)

O concurso público não é meritocrático


Eu quase disse isso no artigo onde expliquei, para leigos, o que é um concurso público. Porém, me limitei a dizer que era complicado atribuir a qualidade "meritocracia" aos concursos sem entrar numa discussão socioeconômica etc. 

Como assim, Guydion? Calma, vou te explicar!

O simples fato de alguns candidatos (e não todos) pesquisarem sobre como conciliar trabalho e estudo para concursos no google explica o porquê do processo não ser meritocrático. 

Vamos ao significado da palavra meritocracia: o bônus dado aos que tem mais méritos (os mais trabalhadores, os mais dedicados, os mais inteligentes). Agora, vejamos se o concurso é meritocrático:

Uma trabalhadora que acorda às 5h da manhã e retorna para casa por volta das 19h é dedicada, não é? Se ela descansa um pouco, toma um banho, come e vai estudar, está se tornando mais inteligente, não está? 

Mas se essa pessoa terá entre 2 e 3 horas diárias de estudo (isso forçando a barra) ela está em "paridade de armas" com alguém que não precisa trabalhar e tem todas as horas de seu dia disponíveis para estudar para concursos? 

Não. 

Como é subjetivo demais comparar o esforço dessas duas pessoas e o foco do concurso é a objetividade, podemos dizer que o concurso atinge a impessoalidade, ou seja, qualquer um pode passar, mas não a meritocracia, pois nem todos estão em iguais condições de combate para a aferição de seu mérito.   



Não temos de odiar nem invejar os felizes colegas que não precisam conciliar estudo e trabalho. Devemos, porém, entender que essa diferença existe e que lidaremos com ela!

Primeiro passo

Se o seu trabalho toma grande parte do seu dia e você pretende passar num concurso, esqueça tudo o que você já leu, ouviu ou assistiu sobre estudar com qualidade de vida, dormir bem, manter um baixo nível de stress emocional... esqueça tudo isso. 

O nível de concorrência dos concursos públicos atualmente não permite isso. Além do mais, você não está em um combate justo, e o sofrimento temporário faz parte desse processo. 

A única forma de atenuar sua dor é passar o mais rápido possível, e é disso que estamos falando aqui!

Comece o dia pelo que importa


Estude pela manhã! Essa dica é tão simples quanto eficaz. 

Pense comigo: entre as 4 e 8 da manhã temos mais silêncio, menos ou nenhuma interrupção, menos stress acumulado, mais energia... é o cenário perfeito para "jogar conteúdo pra dentro da cabeça"! 

De tarde ou à noite estamos muito mais sujeitos a esses problemas e, ainda por cima, com as baterias descarregadas.

O horário, claro, variará de acordo com o seu trabalho. Mas, de forma geral, você precisará dormir uma ou duas horas mais cedo para que acorde mais cedo sem prejudicar seu sono. Se você escolher prejudicá-lo por um tempo, faça com cautela.

Além de todas essas vantagens, estudar "antes de começar o dia" garante que você terá cumprido parte do seu estudo diário (ou todo ele), independente do que acontecer no seu trabalho, na família, na faculdade etc. 

Esqueça o longo prazo

"O trabalho se expande de modo a preencher o tempo disponível para a sua realização".     

Quem disse essa fabulosa frase foi Cyril Northcote Parkinson em 1955 e, a partir de então, o conceito ficou conhecido como "Lei de Parkinson". 

Esse conceito nos diz que até uma tarefa simples levará mais tempo para ser concluída se for permitido que sua conclusão seja demorada.

Já que a analogia tem agradado, vou usá-la nesse artigo também! A Lei de Parkinson diz que se você contrata um pintor para pintar (óbvio) um quarto no prazo de um dia, ele:

raspará as paredes com uma espátula;
aplicará a massa corrida; 
dará um jeito de acelerar a secagem da massa com um secador; 
lixará os detalhes; 
fará os recortes; 
aplicará a primeira demão de tinta; 
outra vez dará um jeito de acelerar o processo de secagem... 

Então, aplicará a segunda demão e estará finalizada a pintura. Tudo isso em um dia.

Porém, se o prazo para a pintura for de sete dias, o pintor provavelmente executará uma etapa por dia, pois isso será menos cansativo.

Lógico que outros fatores podem impactar nessa decisão do profissional, como um bônus pela conclusão em menor prazo, ou o fato dele possuir outros serviços para iniciar naquela semana.. Porém, regra geral, o serviço tomará mais tempo do que poderia.


Eu mesmo já botei em prática essa teoria quando passei em 1º lugar na UFRRJ estudando apenas 23 dias. E na época eu nem a conhecia.. fui empurrado pela vontade de passar mesmo. 

Outros colegas passaram com meses ou anos de preparação. E isso não quer dizer de forma alguma que eu seja melhor que eles. Quer dizer que eu furei a fila.

Guydion, isso quer dizer que um prédio pode ser pintado em um dia, se esse for o prazo? Sim. Mas, somente se vários pintores trabalharem juntos. 

Então, isso não se aplica aos estudos para concursos públicos (exceto se você for o Naruto #paraentendedores). Por isso, não é razoável pensar em passar naquele concursão em um mês. É daí que vem a próxima dica: trabalhe com objetivos de curto a médio prazo.

Não tente transformar uma escada num degrau só


Escadas foram feitas para facilitar nossa vida, não dificultar. Se você trabalha 14 horas por dia no Mc Donalds e sonha ser Delegado da Polícia Federal, não é uma decisão esperta tentar tal feito num golpe só. 

Usei extremos, mas esse pensamento serve pra concursos menores também. Existem concursos (outros trabalhos também) para cargos que pagam R$ 1000, R$ 2000, R$ 3000, R$ 5000, R$ 15000... Esses são os facilitadores, são degraus. 

O caminho direto do Atendente do Mc Donalds ao cargo de Delegado da PF que paga R$ 24000 deve ser absurdamente difícil. Particularmente, não conheço ninguém que tenha feito isso.

Eu, por exemplo, desde que desisti de seguir a carreira de Oficial da Marinha, lá pelos 15~16 anos de idade, sonhei ser Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil. 

De lá pra cá, fui menor-aprendiz do Senai, ganhando uma cota de R$ 257; Recruta do Exército Brasileiro, bolsa de uns R$ 400; Auxiliar Administrativo (1º lugar *-*) da Prefeitura de Nova Iguaçu - entrei com um vencimento de R$ 750 e saí com o salário de R$ 1300 + uma FG (função gratificada ou 'chefia') de R$ 500. 

Hoje, estou como Técnico-Administrativo na UFRRJ (1º lugar *-*) com o salário que falei nesse artigo.

Mas, Guydion, você ainda não disse como concilio estudos e trabalho... Calma! Com certeza no final desse post você terá outra visão sobre o assunto! 

Para usar mais à frente, chamarei de situação 1, 2 e 3 os períodos como Recruta do Exército Brasileiro, Auxiliar Administrativo da Prefeitura e Técnico-Administrativo da Rural, respectivamente.

Bom, subir esses degraus não aumentou somente o meu salário...

No quartel eu trabalhava aos sábados e domingos, com uma carga horária semanal que superava 70 horas semanais. Quando eu saí de lá, após ter sido condecorado e tudo mais, estava cotado para o engajamento. 

O salário de um "Soldado Antigo" era de uns R$ 1500, o dobro do que eu ganharia na Prefeitura. Porém, fiz a sábia escolha de assumir o cargo mesmo com um salário mais baixo. 

Ganhei meus sábados e domingos! Por causa disso, consegui iniciar minha faculdade...

Apesar da carga horária mais tranquila, na Prefeitura eu tinha uma imensidão de trabalho. Um passivo de cerca de 700 processos de aposentadoria, pensão, averbação de tempo de serviço etc. num setor com 3 servidores era realmente pauleira. Eu levava trabalho pra casa, me envolvia até a cabeça e não conseguia tirar mais do que uma semana de férias por ano. 

Era comum servidores terem férias "na casa", porque simplesmente não dava pra tirar. Então, consegui passar em 1º lugar para a UFRRJ. Aqui, minha carga de trabalho é bem menor... e o salário triplicou. Mais um degrau!


Na época do quartel foi absurdamente difícil estudar, eu chegava a dormir em pé no trem e até já apanhei de uma senhora por causa disso kkk (ela era baixinha e eu acordei deitado em cima dela). 

Além disso, vivia no cheque especial e tinha milhares de preocupações causadas pela falta de dinheiro... Quando já estava na Prefeitura, apesar de ainda ser complicada a missão, eu tinha os finais de semana. 

Eu trabalhava com leis, então, estava sempre exercitando essa parte mesmo que não estivesse estudando para concursos. A parte financeira melhorou, mas aquilo ainda não era  tranquilidade. 

Hoje posso dizer que estou numa situação privilegiada em todos esses aspectos.

A mensagem que quero passar é: não tenha pressa para fazer um concurso grande e ganhar bem. Isso pode causar uma frustração tão grande a ponto de te tirar pra sempre dessa caminhada. 

Sei que essa pressa é tudo o que você tem no momento, porque era o que eu tinha. Eu queria dormir e acordar anos depois, empossado. 

Mas o caminho é árduo e o preço tem de ser pago por alguém. Você está disposto a pagar o preço?

Então eu te digo: tenha pressa para dar o próximo passo e subir no próximo degrau; tenha pressa para que seu ano seja melhor do que o que passou! 

Tenha amanhã problemas diferentes dos de ontem.

Como estudar para concursos trabalhando?


Situação de trabalho 1: carga horária alta, muita pressão, desgaste emocional, salário ruim

Eu diria pra você tentar trocar de trabalho antes de começar a estudar, mas se você está buscando uma forma de conciliar estudos e trabalho, certamente não pode sair daí agora... Então vamos lá!

Certa vez num curso preparatório um colega se queixou com o professor por não ter tempo de resolver tantas questões. O professor disse: o que você faz entre meia noite e 6h da manhã?

Imaginou a cena? Eu estava do lado, tinha 15 anos. A turma inteira riu. Aquela frase só foi significar algo concreto pra mim mais tarde... 

Quando me vi sem tempo e fui obrigado a criá-lo, descobri sem querer que não morria se dormisse 6, 5 ou até 4 horas por noite, por um período de tempo. 

Em contrapartida, se eu encostasse em qualquer canto em qualquer lugar eu dormia com luz, movimento, barulho.. nem fazia diferença. Que bom que foi temporário.

Fica a dica: foque numa prova daqui a 2 ou 3 meses e durma menos até lá (dê preferência a concursos menores, de entrada).

Você perde muito tempo no trânsito? Pega ônibus ou trem? Materiais como áudio de lei-seca (ou comentada), audiobooks e videoaulas etc. são uma ótima forma de aproveitar esses momentos. 

Se você tem um celular velho ou um aparelho de mp3 já consegue elaborar algum tipo de conteúdo para consumir nessas horas.

Segunda dica: use as perdas de tempo no trânsito e afins a seu favor.

Tente não colocar as questões no seu cronograma de tempo livre e use todo esse tempo para a parte teórica. 

Como assim, Guydion? Você mesmo disse que as questões são a parte mais importante da preparação para concursos públicos... 

Sim, e elas são mesmo. Por isso você deve resolvê-las sempre, a todo momento. Hoje existem aplicativos excelentes de resolução de exercícios para celular. 

Então você pode resolver questões em filas, entre uma tarefa e outra no trabalho, no banheiro (vá várias vezes kk fiz isso no quartel), se trabalhar com atendimento e for possível, entre um atendimento e outro... enfim, seja criativo.

Terceira dica: qualquer hora é hora, qualquer lugar é lugar de resolver questões pelo celular.

Mesmo com uma rotina apertada, às vezes insistimos em dizer que estamos sem tempo quando na verdade estamos fazendo um péssimo uso do pouco que temos.

Quarta dica: abandone completamente as redes sociais inúteis. Use seu tempo na internet para ler/assistir conteúdos relacionados ao seu objetivo. 

Eu falaria mais sobre, porém não quero alongar o post demais, já que estou escrevendo para pessoas com pouco tempo livre. Quero que leiam até o final.





Situação de trabalho 2: carga horária normal, pressão moderada, desgaste emocional, salário dá pras contas


Aqui, nada te impede de continuar utilizando das primeiras dicas e tentar "pular" alguns degraus. Porém, alguns extremos como abrir mão do sono não são necessários.

Se a intenção é subir mais um degrau, você já conseguirá manter um ritmo razoável de estudos focados no médio prazo, então eu recomendo que faça dois planejamentos: um para antes do edital e outro para depois do edital. Assim, não aumentará muito a pressão antes da hora de forma desnecessária.

Primeira dica: um plano de estudos tranquilo e outro hardcore, a quebra de rotina garantirá fôlego à motivação.

Não sei o quanto você pode interferir nas suas férias, mas vou supor que consegue escolher mais ou menos o trimestre que deseja. 

Tente fazer com que suas férias caiam próximas ao concurso que deseja fazer, assim, a parte mais pesada do seu plano de estudos não terá que coincidir com o seu trabalho. 

Fiz isso para passar em 1º lugar na UFRRJ em 2015... Se tiver curiosidade (e tempo) para conhecer essa jornada, assista a esse vídeo:



O vídeo é um antigo, então a qualidade deixa um pouco a desejar rs... mas, o conteúdo vale a pena!

Segunda dica: estude nas férias! Se planeje para tirar férias na época do edital do concurso (início, meio ou fim do prazo até a prova).

Não sei quanto tempo os compromissos sociais e familiares ocupam na sua agenda, mas recomendo que diminua a frequência deles. 

Seja um bate papo na casa de um amigo ou um aniversário da priminha recém-nascida, esses "imprevistos previstos" tomam tempo precioso e desorganizam nosso cronograma.

Terceira dica: adie sua vida social para depois da aprovação.

Ué, Guydion, por que não deu essa dica na Situação 1? Quem está na Situação 1 já não tem vida social haha 

Outra forma de otimizar seu tempo, como já ganha um pouco mais de dinheiro, é pagando por material. Dessa forma, você não precisa dedicar horas preciosas procurando por artigos sobre determinado assunto ou por questões para montar um simulado, por exemplo... 

Invista no seu futuro! Cursos online e materiais são muito bem vindos. Porém, não recomendo presenciais. Pois, se você tem pouco tempo, não os considero a melhor opção.

Quarta dica: fuja dos cursos presenciais. Em questão de otimização de tempo, conteúdo online ganha disparado!

Nesse sentido, recomendo o Ciclo Eara, do Fernando Mesquita. Afinal, a melhor forma de estudar com pouco tempo é aprender a estudar da forma correta!


conciliando trabalho e estudo
Ciclo EARA: O processo da aprovação

Situação de trabalho 3: carga horária normal, pressão baixa, bom salário


Daqui pra frente a situação já fica mais tranquila. Eu ainda não passei em concurso depois de entrar na UFRRJ (não tentei, na verdade kk) então não me sinto confortável em dar dicas sem tê-las testado. 

Mesmo assim, falarei um pouco sobre. Lembrando que as dicas anteriores podem e devem ser utilizadas de forma conjunta aqui!

Com um trabalho tranquilo, é possível que você consiga até estudar um pouco durante o expediente, desde que mantenha suas funções em dia e não prejudique o funcionamento do seu local de trabalho. 

Porém, quando o trabalho aparece, temos que trabalhar. Por isso, na minha opinião, por mais tranquilo que seja seu serviço não compensa incluir esse tempo de estudos no seu cronograma. Então, o que fazer com esse tempo?

Primeira dica: sempre que for possível estudar durante o trabalho, faça questões e revisões de conteúdo.

Se você ganha hoje um bom salário, mas já ganhou mal, sabe que dá pra se privar de algumas coisas e continuar vivendo tranquilamente. 

O que vou dizer aqui é um pouco ousado e não se aplica a todos. Mas, em alguns casos, é possível que você negocie uma carga horária menor, mesmo que implique numa redução salarial, para ter mais horas disponíveis para o seu projeto de estudos. Ando pensando nisso...

Segunda dica: se possível, tente trabalhar menos tempo para estudar mais

Nesse ponto, você pode até tentar viver aquela realidade ideal de comer bem, dormir bastante, se exercitar etc... 

Terceira dica: siga também as demais dicas padrão internet a fora.


Basicamente é isso! Os demais detalhes que forem pertinentes eu prometo abordar em outros artigos ou vídeos no youtube. Deixe um comentário dizendo o que achou do artigo!

Curtiu? Inscreva-se no meu canal no youtube e me siga nas redes sociais para não perder nenhum post! Criei também essa página no face onde compartilharei todas as postagens do youtube e do blog! Seguindo por lá você não perde nenhum conteúdo e fica sempre atualizado :D  


Até a próxima,
Fui!

. . . 

Nenhum comentário